Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização.

Notícias

Aplicação WEBSIG - Plantas de localização

No contexto atual, marcado pelas particulares exigências e restrições decorrentes do condicionamento do atendimento público presencial e de trabalho à distância, a CCDR Alentejo promoveu a disponibilização de uma aplicação, de acesso universal e gratuito, que permite aos técnicos, às empresas e à população em geral, aceder de forma fácil e intuitiva, a um conjunto de temas de informação geográfica mais diretamente relacionada com as suas atribuições.

Clique na imagem para saber mais

Formulário de contacto geral

No contexto da pandemia COVID-19, o contacto com os serviços da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo é efetuado por via eletrónica ou por via telefónica.

Os contactos disponíveis em Évora, Beja, Portalegre e Santo André serão mostrados no formulário.

Clique na imagem para aceder ao formulário

A partir de hoje a Georreferenciação dos Órgãos de Comunicação Social do Alentejo encontra-se disponível e atualizada, fruto do trabalho desenvolvido em conjunto pelo Gabinete do Sistema de Informação Geográfica (GABSIG), Gabinete de Incentivos do Estado à Comunicação Social (GICS) e Serviços de Informática. Todos os Órgãos de Comunicação Social (OCS) regionais e locais do Alentejo encontram-se georreferenciados no nosso site em http://giserver.ccdr-a.gov.pt/portal/apps/webappviewer/index.html?id=107f3b57aa5f44c39f5c1c57624b7712.

A georreferenciação respeita a todos os OCS do Alentejo, com registo na Entidade Reguladora Para a Comunicação Social (ERC) à data de agosto de 2019, e contém informação dos cartões emitidos às entidades proprietárias ou editoras de publicações periódicas e dos projetos aprovados/candidatados no âmbito do Regime de Incentivos do Estado à Comunicação Social.

Nota: O GICS já tinha anteriormente disponibilizado entre o final de 2017 e junho de 2018 a Georreferenciação dos OCS do Alentejo, altura em que as regras do Google foram alteradas e esta informação deixou de estar acessível.

Projeto ‘Circular Labs’ lança Manuais sobre Economia Circular

O que é a Economia Circular? O porquê da Economia Circular na minha empresa? Porque preciso de um consultor em Economia Circular? Conheça as respostas a estas questões em três Manuais recentemente lançados pelo Projeto CIRCULAR LABS.

O Projeto CIRCULAR LABS é cofinanciado pelo FEDER – Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, através do Programa de Cooperação Territorial Interreg Espanha-Portugal.

Numa estratégia de disseminação e aprendizagem necessária e indispensável para uma sociedade mais inclusiva e sustentável, a ADITEC - Associação Para o Desenvolvimento e Inovação Tecnológica, lançou estes MANUAIS em português no propósito de contribuir para a formação dos mais diversos atores sociais e de "reaprender a viver", contribuindo para um futuro mais solidário, inclusivo e sem desperdício.

Como implementar a economia circular na minha empresa?

Como inovar na sua empresa através da economia circular

Roll Up Circular Labs

O projeto CIRCULAR LABS integra a economia circular em novos modelos de negócios para acelerar a transição do modelo “linear” para o modelo “circular”, com base na eficiência no uso de recursos. 

Baseia-se na metodologia de redes, mercados, laboratórios vivos e acordos de inovação, por meio do trabalho colaborativo de entidades e pessoas, que aplicam o conceito de economia circular, bem como o uso das tecnologias de TIC e 3D. 

 

Assista ao vídeo sobre o CIRCULAR LABS.

Apoios e recursos para a Comunicação Social

A equipa de Media e Imprensa da Representação da Comissão Europeia em Portugal disponibilizou um novo DOCUMENTO para melhorar o acesso a informações sobre fundos, projetos, acesso a recursos, publicações, prémios e outros apoios que podem ser relevantes para o setor da Comunicação Social e os jornalistas portugueses.

Esta lista não é exaustiva e não dispensa uma consulta mais detalhada das páginas da Comissão Europeia e restantes instituições. Qualquer sugestão de melhoria pode ser enviada para o e-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Questões relacionadas com alguma das oportunidades listadas neste documento devem ser dirigidas aos contactos indicados na respetiva oportunidade. 

 

Consulte o DOCUMENTO atualizado a 23/06/2020.

Concurso de vídeo promove Cooperação Transfronteiriça na EUROACE

EUROACE - Eurorregião Alentejo-Centro-Extremadura, em colaboração com as Comissões de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro e do Alentejo, está a promover um concurso de vídeo “Micro-histórias da Cooperação Transfronteiriça”.

Enquadrado nas comemorações do 30º aniversário do lançamento do Interreg, o principal programa da União Europeia para a cooperação territorial entre regiões fronteiriças, este concurso pretende dar visibilidade à relevante evolução das relações entre a Extremadura Espanhola e Portugal e ao trabalho realizado na promoção do desenvolvimento dos territórios e populações transfronteiriças.

Assim, entre o dia 22 junho e o dia 2 de agosto de 2020, podem participar neste Concurso pessoas e/ou entidades de qualquer nacionalidade e residência, incluindo associações, grupos ou participantes em projetos de cooperação transfronteiriça entre Extremadura, Alentejo ou região Centro. Estão definidas duas categorias: uma direcionada para jovens com menos de 18 anos e a outra para participantes adultos.

Para participar, será necessário apresentar vídeos em espanhol ou português que não excedam um minuto, gravados com qualquer dispositivo e que abordem a forma como os 30 anos de cooperação transfronteiriça na EUROACE influenciaram sua vida e a evolução do seu território.

Os temas prioritários do concurso são: Vizinhos, Ecologia ou Juventude, embora também sejam aceites trabalhos que tratem de outros aspetos das relações Portugal-Extremadura.

Os vídeos devem ser enviados para o e-mail Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.. Podem, igualmente, ser enviados através da plataforma WeTransfer. No corpo da mensagem deve aparecer o texto Concurso de micro-histórias CT "30 anos de cooperação transfronteiriça na EUROACE", além de indicar os detalhes do autor.

Foi estabelecido um prémio para cada categoria. Para selecionar os vencedores, serão escolhidos dez trabalhos por categoria, dentre os quais serão escolhidos os três finalistas, que receberão um reconhecimento honorário. Além disso, os três vídeos finalistas de cada categoria serão usados no contexto de uma campanha de divulgação do aniversário do Interreg nos média e nas redes sociais.

O vídeo vencedor na categoria Jovem receberá um bilhete para o circuito transfronteiriço no barco “Balcón del Tajo” para todos os membros da família ou para um grupo de até 10 pessoas, se for um vídeo apresentado por um grupo de jovens. Neste último caso o grupo de jovens deverá ser acompanhado por um adulto.

No caso da categoria de Adultos, o prêmio consistirá em um voucher para uma estadia de fim de semana para duas pessoas num dos estabelecimentos  da Red de Hospederías de Extremadura.

O concurso "30 anos de cooperação transfronteiriça na EUROACE" é uma atividade realizada no âmbito do projeto GIT EUROACE2030, co-financiado a 75% com fundos FEDER, através do Programa de Cooperação Transfronteiriça Interreg VA Espanha Portugal (POCTEP) 2014-2020 e conta com a colaboração da Província de Cáceres e da Red de Hospederías de Extremadura.

 

Consulte aqui o REGULAMENTO do Concurso.

CONCURSO DE VÍDEO: MICRO-HISTÓRIAS DE COOPERAÇÃO TRANSFRONTEIRIÇA 30º ANIVERSÁRIO INTERREG

 

Este ano de 2020 cumprem-se trinta anos desde o lançamento do INTERREG, o principal e emblemático programa da UE para a promoção da cooperação territorial entre regiões fronteiriças. Nas últimas três décadas, o INTERREG conseguiu aproximar os mais de 170 milhões de habitantes da Europa que vivem em regiões fronteiriças, melhorou suas vidas e criou novas oportunidades de cooperação.
A celebração dos trinta anos da INTERREG ocorre num momento particularmente delicado, tanto para a  Europa quanto para o resto do mundo. Apesar disso, na EUROACE queremos participar nesta homenagem e celebrar as conquistas alcançadas ao longo desses anos de cooperação transfronteiriça. Para isso, o Direção Geral de Ação Exterior da Presidência da Junta de Extremadura, através do Gabinete de Iniciativas Transfronteiriças, decidiu convocar um concurso micro-audiovisual, cujo tema gravite em torno da cooperação transfronteiriça entre o Alentejo, o Centro e a Extremadura.

 

 

 

Ler mais >>

Aprovado Projeto Lince Ibérico

Projeto “LYNXCONNECT”, submetido em 2019 por Espanha e Portugal a financiamento ao programa “LIFE ACTION GRANTS”, obtém aprovação na fase final de seleção.

O projeto LYNXCONNECTCriando uma metapopulação de lince-ibérico (Lynx pardinus) genética e demograficamente funcional, (LIFE 19 NAT/ES/001055), tem como objetivo central o aumento da população de lince-ibérico e reforçar a conectividade entre as subpopulações de Portugal e Espanha.

A União Europeia comunicou no passado mês de maio, a todos os parceiros, através do beneficiário coordenador – Junta de Andaluzia - que este novo projeto passou nos diferentes critérios de avaliação, tanto por consistência e qualidade técnico-financeira, como devido ao valor acrescentado para a União Europeia.

Por outro lado, constitui a sequência e evolução lógica do anterior projeto LIFE+Iberlince, que decorreu entre setembro de 2011 e junho de 2018, em cujo âmbito o ICNF e outros parceiros nacionais públicos e privados e do país vizinho, com o indispensável apoio e acolhimento por parte das populações e autoridade locais do Vale do Guadiana, conseguiu reintroduzir o lince-ibérico em território Português, com caráter estabilizado, o que não ocorria desde o final do século XX.

Este projeto, que agrega 20 parceiros ibéricos, tem como beneficiário coordenador a Consejería de Agricultura, Ganadería, Pesca y Desarrollo Sostenible da Junta de Andaluzia, e por parte de Portugal, para além do ICNF, participam como parceiros a Infraestruturas de Portugal, IP e a Comunidade Intermunicipal do Baixo Alentejo (CIMBAL).

Em termos financeiros o projeto implica um investimento total de 18,5 milhões de euros, cabendo ao ICNF um pouco menos de 1,5 milhões, sendo a taxa de financiamento de 60,67 %, o que se traduz num financiamento comunitário global de quase 11,4 milhões de euros.

Portugal, através do ICNF, da Infraestruturas de Portugal e da CIMBAL, e com o apoio de outras entidades pretende consolidar a população criada entre 2015 e 2018 no Vale do Guadiana, estabelecer pequenos núcleos populacionais que reforcem a conectividade com as subpopulações de Andaluzia, Castilla-La Mancha e da Extremadura espanholas e, ainda, equacionar a possibilidade de uma nova área de reintrodução, através da avaliação de potenciais territórios que reúnam as condições adequadas de habitat, alimento, continuidade natural e tranquilidade e aceitação social para o estabelecimento de uma nova população.

Paralelamente com as medidas diretamente relacionadas com a espécie alvo deste projeto, serão desenvolvidas iniciativas de caráter social, de promoção, sensibilização e informação dos públicos locais e urbanos, a par de outras ações que terão efeitos positivos indiretos sobre o ecossistema mediterrânico e sobre a economia local, criando melhores condições de vida para as populações locais e proporcionando alternativas de desenvolvimento sustentável, por exemplo, através do turismo de natureza.

Da experiência obtida no Vale do Guadiana, a presença do lince-ibérico neste território, traduziu-se em diversas mais-valias para a população residente ou que dele depende economicamente, não tendo a sua presença constituído uma condicionante acrescida, antes pelo contrário, uma vez que atrai visitantes e passou a representar uma marca de elevada qualidade e de atratividade para esta região do Vale do Guadiana.

Webinar Espaço de Descoberta Empreendedora (EDE)

Webinar Espaço de Descoberta Empreendedora (EDE)

Região Alentejo

24 e 30 de Junho de 2020

“A Bioeconomia Sustentável na Região do Alentejo”

  

As Estratégias de Especialização Inteligente estão inequivocamente associadas a Processos de Descoberta Empreendedora (PDE). É através destes processos que as regiões encontram uma melhor definição de domínios de conhecimentos e aptidões locais que necessitam desenvolver e, nesses domínios, atividades que permitam explorar e experimentar nichos estratégicos de especialização económica.

 

A descoberta empreendedora, deve ser um processo coletivo e participado no qual, em particular os atores empresariais com conhecimentos acerca da evolução dos mercados, têm um papel importante, sinalizando quais as direções de procura e quais as áreas de conhecimento que estão associadas a necessidades de inovação.

 

Uma forma de as autoridades regionais apoiarem esse processo é através da realização de sessões de trabalho, cujo objetivo seja refletir em grupo não só sobre a melhor forma de apoiar o processo de descoberta empreendedora, mas também sobre como encontrar oportunidades que constituam o foco da estratégia regional de especialização inteligente  (EREI).

 

Neste quadro complexo que estamos a viver, a realização de sessões online no contexto dos processos, constitui uma experiencia importante. Ao realizar este Webinar o Alentejo será uma das primeiras regiões Europeias a testar a utilização de novos métodos de apoio ao processo EDP num ambiente online. Assim sendo, os objetivos para este evento são:

 

Melhoria da governança regional que suporta e facilita processos EDP.

Identificar oportunidades para descoberta empreendedora no âmbito da “Bioeconomia Sustentável”.

A participação implica a inscrição obrigatório para Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar., até 22 de junho.

Download do programa: PDF

 

Programa

 

Dia de Portugal na Extremadura 2020

Clique na imagem para consultar o programa

Dia Mundial do Ambiente

 

            

A Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo( CCDRA), assinala o Dia Mundial do Ambiente, 5 de junhopreparando o concurso público internacional para a elaboração da Estratégia Regional de Adaptação às Alterações Climáticas (ERAACA).

Este projeto, financiado a 85% pelo POSEUR, foi objeto de uma reprogramação física e financeira, terá um custo de cerca 345 mil euros e a duração prevista de 2 anos.

A necessidade e a importância de definir e elaborar uma estratégia regional de adaptação às alterações climáticas para o Alentejo prende-se com um conjunto de ameaças que se poderão acautelar e oportunidades que se poderão aproveitar se houver um planeamento e gestão adequadas.

Por exemplo, no lado das ameaças:

  • O Alentejo é uma das regiões mais afetadas pelas alterações climáticas na Europa devido ao efeito combinado dos aumentos de temperatura e diminuição da precipitação numa região que já se encontra situada numa franja climática próxima do limite da habitabilidade e em processo de desertificação
  • A economia do Alentejo é fortemente dependente do sector primário e do turismo, que serão fortemente prejudicados pelas alterações climáticas previstas. 
  • O Alentejo tem um baixo nível médio de desenvolvimento socioeconómico, o que vulnera a capacidade de adaptação das comunidades locais às alterações do clima.  

No lado das oportunidades, é importante salientar:

  • O Alentejo reúne as competências académicas e as motivações a nível municipal, intermunicipal e regional necessárias para a adequada planificação e execução de políticas de adaptação às alterações climáticas. 
  • O Alentejo ocupa um terço da área do País pelo que a estratégia regional terá um impacto significativo a nível nacional podendo constituir-se como exemplo a replicar noutras regiões.   
  • O Alentejo lidera políticas de mitigação das alterações climáticas a nível nacional—produz 67% da energia fotovoltaica em Portugal—, podendo apresentar-se como região resiliente às alterações climáticas (“climate change proof”) se combinar excelência na mitigação e na adaptação.  

A proposta de realização da ERAACA resulta da confluência de esforços e de vontades partilhadas entre instituições do poder central desconcentrado (CCDRA, ICNF, APA, ARSA), poder local (Municípios e Comunidades Intermunicipais do Alto Alentejo, Alentejo Central, Baixo Alentejo e Alentejo Litoral), universidades (Évora), e empresas públicas e privadas do sector primário e secundário.

Subcategorias